Tag Archives: aranhas

Questão de pele de cobra, de aranha e de bicho-pau

19 Nov

20121119-041232.jpg
Essa era, ou quem sabe ainda é, uma cobra siciliana. Largou sua pele de serpente para crescer e continuar passeando por Avola. Loretto estava na garupa da minha bicicleta e viu, sob um montoado de folhas secas, um pedacinho da pele. “Para, para a bicicleta!”. Desceu correndo e pegou. Era gigante, estava quase intacta. Uau! Incrível! Daí, guardamos em uma garrafa plástics vazia para não estragar na bagagem. Amassou um pouco, rasgou outro pouco, mas deu para trazer quase completa e colocar neste porta-retrato. Volta e meia, Loretto abre para brincar com ela. A cobra deve estar por lá ainda, largando a pele para outros meninos curiosos pegarem.

20121119-041416.jpg
A história dessa aranha é linda demais e só está no começo. O Lanfranco Tronconi a criou por quinze anos e essa pele aí é de quando ela tinha 10 anos. O Lanfranco guardou, guardou, guardou, guardou a pele por muito tempo. Hoje ele é biólogo e trabalha no Instituto Butantã. E é pai da Isabelinha, que estudava com o Loretto até 2011. Quando o Loretto soube que o pai da Isabelinha era biólogo e, ainda por cima, trabalhava no Butantã, queria encontrar com ele em todas as festas para mostrar seus livros, seus besouros… Um dia, o Lanfranco deu a pele da aranha para o Loretto, que a guarda como se fosse um tesouro na caixinha de acrílico. E prometeu guardar para sempre e só dar para alguém quando ficar muito muito muuito velhinho e, ainda assim, só se esse outro alguém gostar de bicho tanto ou mais do que ele.

20121119-042246.jpg
A gente já sabia que o Bicho-pau ia soltar a pele. Mas no dia em que aconteceu, nossa… foi demais! Acordamos e, como de costume, fomos lá dar uma olhadinha nos casais de bicho-pau. A pele estava lá, em pé, transparente, como se fosse um bicho-pau fantasma. Era tão impressionante. Era a pele de uma das fêmeas. Ela parecia remoçada, mais clara, mais feliz sem a pele velha. Saiu tudo, até a antena. O Loretto tirou a pele da gaiola e a gente decidiu mandar emoldurar. Com o vidro ela ficou assim, plana. Quando houver nova troca de pele de bicho-pau por aqui, eu fotografo ela antes de colocar no vidro. O Emiliano, biólogo da USP que presenteou o Loretto com os insetos, disse que outras peles sairão. Eba!

E a gente fica pensando: será que dói quando as peles das cobras, aranhas e bicho-pau saem? O que será que eles sentem? Será que a primeira troca de pele é igual a queda do primeiro dente de leite? Tudo questão de pele…

Anúncios

Aranha disfarçada de cocô, aranha pavão e outras aventuras no Butantan

29 Jan

20120129-113404.jpg

Pense bem: é genial que uma aranha se disfarce de cocô. O mosquito vai lá, contente de ter achado uma bela merda, e pluft!, nem tem tempo de saber o que o devorou. Loretto aprendeu sobre as aranhas cocô na programação de férias no Instituto Butantan. Ele também viu a pequeninha aranha pavão que levanta a “cauda” para conquistar parceiro. Como falei para ele, aparência é tudo. E nem estou me referindo à beleza. Feio ou bonito, o que importa é saber usar em seu favor aquilo que a natureza deu…

Na foto acima, clicada por Camilla Marques de Carvalho, Loretto aparece concentrado na contação de história que também aconteceu na Programação Fim da Picada, do Instituto Butantan. Abaixo, as fotos da Aranha Cocô (Phrynarachne sp) – em foto do blog Bocaberta – e a Aranha Pavão (Maratus volans) – em foto do blog Rainha Vermelha.

Ah, sim, o Record News e o SP TV estiveram por lá filmando e o Loretto apareceu rapidinho nas reportagens:

Reportagem Record News
Reportagem SPTV

20120129-113433.jpg

Cuidado! Não é um pedaço de quebra-queixo…

20120129-113457.jpg

O desenho da cauda é meio rupestre, não?